Erro
  • Erro ao carregar componente: com_imageshow, 1

Opinião

 

 

 

NOTA SOBRE O 27 DE NOVEMBRO
José Alberto Tavares

Foi profundamente lamentável que o mais alto escalão do Exército, escondendo-se por trás de uma nota pífia como a que foi divulgada “para todos os militares”, neste ano de 2004, não tenha tido a suficiente grandeza para prestar aos companheiros que foram covardemente assassinados durante a sublevação comunista de 1935 a homenagem maiúscula que eles muito justamente merecem.
Felizmente, duas centenas de brasileiros dignos, aí incluídos os comandantes militares sediados no Rio de Janeiro e os presidentes dos três clubes militares cumpriram com esse dever cívico.
Talvez assustado pelas repercussões da matéria divulgada pelo CCOMSEX por ocasião da provocação patrocinada por um pasquim brasiliense, revidando à altura a ofensa feita ao Exército com acusações visivelmente revanchistas, o comando da Força decidiu pela feitura de uma nota insípida, inodora e incolor, em que procura até justificar o injustificável. Se foi para agradar aos mandantes de plantão, ficou na medida certa.
Ao ressaltar na nota que a perspectiva do tempo deve ser considerada, é oportuno lembrar que a mesma não tem o poder de transformar assassinos, seqüestradores, assaltantes de bancos e terroristas em homens de bem. O que fizeram foi atentar contra as leis do país, portanto, cometeram crimes. E, não fosse a anistia, concedida pelos vencedores, deveriam estar sendo submetidos à Justiça. Se, por um lado, consideram-se amparados pela Lei da Anistia, mas sem condições para condenação dos contrários, continuam insistindo em um revanchismo estéril, tentando jogar a opinião pública contra as FFAA, com vistas a enfraquecê-las, embora sem êxito.
Isto, sim, é alimentar ressentimentos.
A afirmação de que os conflitos ideológicos do século XX foram superados não pode ser aceita por quem conhece os métodos de atuação dos extremistas da esquerda fanatizada. China, Cuba, Coréia do Norte e Vietnã aí estão como exemplos de que o conflito persiste. E os seus discípulos, aqui no Brasil, se pudessem, nos arrastariam para esse universo macabro.
Quanto a caminhar ombro a ombro, é preciso ter presente que comunistas, como muitos dos que hoje detêm considerável parcela de poder no país, só caminham ombro a ombro com quem compactue das idéias que regem seus procedimentos e norteiam seus objetivos, embora, para uso externo, simulem o contrário.
Por tudo isso, só nos resta lamentar que a homenagem do EB aos heróis de 35 tenha se limitado a uma nota tão simplória quanto submissa.

 

 

 

O TERNUMA agradece sua visita.
Ir para o topo
Desenvolvimento, Hospedagem e Manutenção por IBS Web.'.