Erro
  • Erro ao carregar componente: com_imageshow, 1

A VACA ESTÁ NO BREJO. // Edu C. Antunes – Cel Refm. e Bacharel em Estudos Sociais - 17/11/2017

É comum no linguajar popular quando algo de ruim acontece falar: “A vaca foi pro-brejo”! E pergunto: “E voltou do brejo”? Normalmente a resposta fica no ar. Quem já viveu na fazenda, sabe perfeitamente quando a vaca vai para o brejo está à procura de água para beber ou para se refrescar. Ao sair, se consegue, normalmente, vem coberta de lama em seu corpo.
Fazendo uma analogia com boa parte do rebanho político instalado no curral da ideologia ultrapassada e dos aproveitadores do erário público disponível nos diversos órgãos da política, verifica-se que o brejo que circunda os poderes da república é possuidor daquela lama grudenta da mentira e da corrupção que, após se prender nas pernas de quem nela entra, só sairá após inúmeros processos de lavação jurídica, cuja consequência será a possibilidade de ocupar os cinco metros quadrados de uma confortável cela prisional.
Muitas são as excelências que chafurdam na lama fétida, denunciadas ante a gama de processos que acertam, sem dó, suas desesperadas cabeças, pela possibilidade de serem defenestradas nas próximas eleições ou de serem obrigadas a trabalhar, limpando as privadas das famosas masmorras brasileiras, repletas de marginais de toda a ordem. Ao menos é o que se espera. Mas, alguns são diferentes e vão cumprir a pena em suas confortáveis casas dançando ao som de um Funk e debochando dos incautos brasileiros.
Quanto mais tentam sair do brejo que os acolhe, no afã de impedir que os verdadeiros cumpridores da lei, preocupados em restabelecer a ordem nesse Brasil Varonil, os atinjam com a espada da justiça, mais afundam na lama que os circundam. Tentam, de todas as formas, modificar leis e, até mesmo, itens básicos de uma malfadada Constituição que em sua maioria só proporciona direitos sem as devidas obrigações, na esperança de se livrarem das garras de uma punição exemplar. Chega-se ao ponto em que o Judiciário dá a sentença e o Congresso decide qual delas vai aceitar. Para piorar, esse procedimento começa a ser executado por Assembleias Legislativas, onde bandidos eleitos que desviam dinheiro p&u acute;blico são libertados por seus iguais. Afinal! Para que serve a justiça nesse país? Uma bagunça generalizada.
Recentemente foi descoberto que inúmeros candidatos a diversos cursos da área governamental foram aprovados através da compra de provas, proporcionadas por responsáveis pela elaboração e aplicação das mesmas e que tal crime vem se realizando há algum tempo. Quantas “autoridades” ocupam funções de forma fraudulenta e decidem sobre a vida de milhares de brasileiros? Delações de toda a ordem, atingindo os mais diversos escalões da república de forma indiscriminada e abrindo uma verdadeira “Caixa de Pândora tupiniquim” deixam a nação perplexa e indignada, ante o cabedal de falcatruas por parte de muitas “autoridades” constituídas. Triste, m as verdadeiro.
Mas, afinal! A vaca política saiu ou não do brejo? Infelizmente está atolada até o pescoço, mas mugindo a plenos pulmões; fazendo um estardalhaço que alcança as raias da economia, da saúde, da segurança e dos transportes com uma força avassaladora descomunal. Embora mudanças estejam sendo realizadas, com a finalidade de desburocratizar a enorme e emperrada máquina administrativa, percebe-se que interesses outros estão pela retaguarda dos verdadeiros anseios do país, pelo conteúdo de algumas medidas urgentes enviadas ao Congresso que, pelo visto, estão a salvar entidades devidamente selecionadas para tal.
Esse procedimento se impõe simplesmente pela omissão da maioria de nosso povo que, mesmo conhecedor de muitas dessas decisões que só o prejudicam, se comporta como cordeiros assustados pelos uivos dos famintos lobos do erário que o circundam e não reagem como deveriam ante a derrama de impostos que caem sobre suas cabeças. É hora de tirar a lama desses que só pensam em si prejudicando o país, colocando-os nas masmorras da lei e não os elegendo nas próximas eleições.
Para tal urge manter em evidência permanente o nome desses que só se aproveitam das benesses do poder para se locupletarem. Caso contrário, continuaremos nesse regime feudal, onde poucos se locupletam e o povão paga bovinamente as regalias do poder. Acordem! E não votem mais nesses que destruíram e continuam tentando nos iludir com suas mentiras permanentes.

O TERNUMA agradece sua visita.
Ir para o topo
Desenvolvimento, Hospedagem e Manutenção por IBS Web.'.