Erro
  • Erro ao carregar componente: com_imageshow, 1

A NOÇÃO DOS VALORES EM UMA SOCIEDADE DESORGANIZADA. // Cel Av Ref Alfredo Luzardo

Gramsci escreveu mais de mil páginas filosofando sobre o neo marxismo e a importância da deformação das mentes de um povo para torná-lo vulnerável, e com isso transformá-lo em uma nação comunista. Era uma coisa surrealista para a época. Sua intenção maior estava em se contrapor a Stalin e Mao, que, para consolidar o comunismo na Rússia e na China usaram a força bruta, aterrorizando e matando mais de 100 milhões de pessoas. Ele queria uma transição menos traumática e mais efetiva.
Para implantar sua intenção em uma nação era necessário remoldar sua cultura através da arte, da musica, de seus hábitos, suas crenças e incentivar a libertinagem através de livros e filmes pornográficos com distorções éticas e morais e, com isso, enfraquecendo-a, tirando-lhe a dignidade e a vontade própria. Como instrumentos de trabalho usaria simplesmente os meios de comunicação de massa, que podem controlar a cultura de um povo, moldando o pensamento das futuras gerações. Isso demandaria tempo, mais a consolidação seria perene. Era preciso infiltrar comunistas marxistas leninistas nessas áreas sensíveis. Não para destruí-las, mas para transformá-las através de mudanças comportamentais. Para colocar em prática seus pensamentos seria necessário colocar na linha de frente os grandes “formadores de opinião”. São eles os propagadores da fé cristã através das igrejas de militantes então chamadas “progressistas” onde conseguem incutir em seus fieis uma nova “ordem religiosa”; as instituições de ensino, principalmente as universidades, pelo incentivo da liberdade total e da desobediência com um chamamento “democrático” onde o que vale é uma mudança anárquica de comportamento ético e moral; e a imprensa onde os padrões sociais podem ser massificados através de uma propaganda dirigida, uma constante “lavagem cerebral” para deturpar valores sociais já estabelecidos. Os chamados “intelectuais”, boêmios, filósofos de botequim, onde o ego impera, são incentivados e valorizados para garantir um conceito libertador, com o propósito da difusão de uma democracia liberal exacerbada onde só existem direitos, mas não se fala em deveres. È um processo que Incentiva uma luta de classes sociais onde, subliminarmente, coloca como pontos chaves as disputas patronais, o racismo, as opções sexuais, a desvalorização familiar e religiosa. A família seria o núcleo mais abalado e alterado em seus valores. Gramsci não queria uma revolução armada. Queria, e conseguiu em vários países como no Brasil, uma mudança comportamental a longo-prazo para que a sua revolução acontecesse sem que fosse percebida pelo povo. Sua ideologia seria implantada através da reestruturação da cultura original onde os valores morais e éticos voltados para a manutenção da dignidade da sociedade seriam alterados ou destruídos. Isso fragiliza o povo, tira a sua vontade, a sua dignidade e o confunde, tornando-o uma presa fácil para a implantação do marxismo-leninismo sem maiores problemas.
No Brasil sua tropa de choque já está formada. São professores, “educadores” transformadores das cabeças moldáveis dos jovens; jornalistas e artistas divulgadores das “novas ideias”. Com uma grande penetração na população e distorcendo realidades juntamente com os autodenominados “intelectuais” elevados a “pensadores introdutores das novas filosofias socialistas”e os pregadores religiosos que se aproveitam dos menos favorecidos para induzi-los à “posse de direitos igualitários econômicos”. Todos são recrutados para essa missão por comunistas marxistas leninistas natos. Priorizam somente os “direitos” sem cobrar os “deveres” de cidadão, induzindo-os a um caminho ilusório de liberdade, de igualdade e, sobretudo, de direitos.
Meditemos um pouco sobre os atuais acontecimentos no nosso país. Deixamos de lado a nossa dignidade ao aceitarmos a conivência, por indiferença com as distorções sociais, morais e éticas que nos atingem.Falta um rumo político; faltaum Executivo “ético” e transparente; falta um Legislativo voltado para soluções através de “leis claras, simples e justas”;efalta um Judiciário “imparcial, eficiente e eficaz”. Observem que a atual ordem do dia é a “anarquia generalizada”. A desestruturação e desmoralização dos poderes constituídos tem sido uma tônica. É um prende e desprende que ninguém entende mais. Ninguém sabe quem manda. Um deplorável “silêncio dos bons” faz crescer essa anarquia perniciosa, corrupta e assassina.
O país está sendo conduzido para uma trágica “guerra civil” iniciada pela criminalidade dominante. Os poderes constituídos perdem sua força de comando e se imiscuem numa promíscua troca-troca de favores para encobrir seus atos de corrupção. Prevalecem os “direitos humanos” dos “desumanos”, dos “intocáveis”. Na atual conjuntura nem “Pilatos” saberia como lavar suas mãos. Muita sujeira e pouco sabão. Até o Judiciário está esquecido do seu papel de ser o “pilar básico de uma democracia”!
Esquecemos que corrupção com desvio de recursos dos órgãos públicos é o mesmo que assassinato cruel. Suas consequências nefastas são inimagináveis para uma sociedade. Perdemos o nível mínimo educacional padrão. Com a saúde publica esfacelada e com uma previdência social falida, tudo por corrupção e sem uma “justiça justa” estamos nos matando, cometendo um massacre social. Sofremos um processo de eliminação dos valores, tornando-nos uma Nação fragilizada e sem vontade própria para conduzir nossos destinos. Uma Nação enfraquecida é uma presa fácil para a implantação de um regime “totalitário”.
Gostaria que refletíssemos sobre os acontecimentos atuais. Qual o porquê da existência desse nível de corrupção? Ora, essa resposta é fácil: - porque muitos dos que possuem condições de liderança são desonestos, achacam ou são achacados pelos gestores do poder público. Uma justiça lenta e parcial é o principal fator dessa anarquia desenfreada. Vinte anos para dar solução a um crime comprovado é sinônimo de impunidade. Se a transgressão da lei for por um “poderoso $$$”, este poderá nunca ser julgado. Morre antes... São infindáveis recursos em cima de recursos prorrogando ou mantendo essa impunidade. Até a presidente do STF disse, em seu discurso de posse, que havia processos com infindáveis recursos só naquele tribunal! Processo com mais de trinta recursos no STF! O judiciário mostra-se fragilizado em sua ética, imparcialidade e morosidade. Permite que a corrupção se infiltre e dá aos criminosos a certeza da impunidade. Isso é determinante pelo fracasso das instituições. Isso desencadeou um processo criminoso, desordeiro e abrangente dentro de uma sociedade que se diz organizada. Quando um juiz corrupto é punido, é punido com uma bela aposentadoria! Institucionalizou-se a corrupção. Não precisa se dizer mais nada.
A exceção de um momento incomum, temos que aplaudir a “Lava-Jato”, e rezar para que Deus não permita que “outros” tipos de “justiceiros” se intrometam.
Olhem para o nosso Legislativo. Promulgam “Leis”, supostamente sociais, “pressionados apenas por interesses sociais”. Balela e hipocrisia. Acreditaria se os congressistas fossem eleitos pelos seus méritos e que “todos fossem fichas limpas” e que os interesses principais fossem os da Pátria e não os dos “chefes” de quadrilha, lobistas ou dos interesses partidários. Empreguismo de afilhados políticos, em todas as instituições publicas, é o mesmo que abolir a meritocracia e minar essas instituições, enfraquecendo-as e tornando-as facilmente sabotadas e ineficientes.
Que seja feita uma Reforma Política urgente e decente. Criem-se regras básicas para serem candidatos ao parlamento. Valorize a “Ficha Limpa”, o valor intelectual e cultural. Acabem com a suplência dos Senadores. Promovam leis abolindo as excrescências da legislação atual como foro privilegiado e imunidade parlamentar. Leis contundentes onde o desvio de dinheiro público deveria ser considerado crime hediondo, pois roubar recursos destinados à saúde pública é o mesmo que assassinato. Desviar verbas da educação é promover futuros bandidos aumentando a criminalidade. Manter a atual lei da maioridade penal em 18 anos é um enorme incentivo a menores serem envolvidos pelo crime na certeza dessa impunidade legal. Hoje todos os maiores de 12 anos têm consciência do certo e do errado e devem responder pelos seus atos.
O estímulo a essa desordem é promovida, não só pela imprensa infiltrada, como também pelo ensino de baixa qualidade, ignorando os valores básicos da educação, incutindo na nossa juventude que é válido tirar proveito de tudo, independente das suas consequências. Uma inversão de valores estimulando que tudo é permitido. Com isso os princípios éticos e morais se esvaem e a família, que é o núcleo básico de uma sociedade organizada, se esfacela.
Vamos abrir nossos olhos, combater os malfeitos e começar a trabalhar voltados para um bem estar social, sem interesses, sem corrupção, com justiça e com alto nível de ética, moral e dignidade. Não vamos deixar que os pensamentos de Gramsci domine a nossa Pátria. Está na hora de um BASTA nessa anarquia.
Lembrem-se, o mau se expande quando os bons se omitem.

O TERNUMA agradece sua visita.
Ir para o topo
Desenvolvimento, Hospedagem e Manutenção por IBS Web.'.