Erro
  • Erro ao carregar componente: com_imageshow, 1

À PROTEÇÃO DE DEUS TODO-PODEROSO É CONFIADA A SALVAÇÃO DO MEU BRASIL. // VAlte Ref Sergio Tasso Vásquez de Aquino - 07/09/2017

Neste Sete de Setembro, em que comemoramos 195 anos da ruptura dos laços que, como colônia, nos prendiam a Portugal, os católicos do Brasil estamos unidos em jejum e oração, pedindo a Deus pela redenção de nossa Pátria e pela sua independência real e total, em benefício de todos os brasileiros. Os fiéis de todas as religiões e as pessoas de boa vontade, que não têm a felicidade de crer, foram também convidadas a participar da grande corrente espiritual, que abarque todos os rincões do nosso formidável território.
A democracia, entre nós, ainda é uma ficção, pois dela só adotamos aspectos formais, como pluripartidarismo, eleições frequentes, ainda que viciadas, existência de Três Poderes, liberdade de expressão... O resultado que temos colhido, porém e infelizmente, está mais próximo de autêntica e tirânica oligarquia, em que impera o interesse egoísta dos mais fortes, dos detentores do poder do Estado e da economia, sobre os justos anseios e as aspirações da maioria, classe média e segmentos menos privilegiados da sociedade, por uma existência digna e feliz, com o suficiente para viver e a possibilidade de ascender pelos próprios méritos, num ambiente em que todos, de fato, sejam iguais perante a Lei.
Como tenho tantas vezes declarado, os anos posteriores a 1990, influenciados decisivamente pelos governos balizados pela Constituição de 1988 e suas distorções, têm sido extremamente negativos para nossa Nação. Tudo foi exponencialmente agravado pela ascensão de governantes caudatários do esquerdismo radical, fanaticamente dedicados a impor-nos o jugo escravizante dos seus pervertidos e falsos ideais, a começar paulatinamente no consulado FHC e acelerando drasticamente durante o longo predomínio lulopetista.
A corrupção, como arma política para realizar a revolução vermelha e enfraquecer o Estado, atingiu nível inédito e assustador no período petista, roubando recursos essenciais para o desenvolvimento e a segurança e prejudicando fundamentalmente a educação, a saúde e o saneamento, a segurança pública, a infraestrutura de transportes, comunicações e  energia, a geração de empregos, o reaparelhamento e a atualização da Expressão Militar do Poder Nacional, os investimentos em pesquisa, ciência e tecnologia, enfim, todos os setores essenciais ao progresso e ao fortalecimento do Brasil soberano e a manter elevadas a autoestima e a confiança/esperança do povo por um futuro cada vez melhor.
Como o uso do cachimbo faz torta a boca, mesmo depois dos alvissareiros impeachment de Dilma e afastamento compulsório do PT do poder, ainda persistem nefastos e condenáveis hábitos político/administrativos e econômicos no aparato do Estado, nos seus Três Poderes e três níveis, federal, estadual e municipal, e no imbricado relacionamento estatal com as grandes empresas, notadamente as empreiteiras e os grandes conglomerados agroindustriais, como tão bem revelado pela escabrosa, desenvolta e até agora impune atuação da J&S e de seus mentores.
O que mais se destaca é a disfunção do Legislativo, na contínua atuação de balcão de negócios, de toma lá, dá cá, de sorvedouro de recursos enormes para privilégios absurdos aos congressistas e “representantes do povo” nos três níveis, que apenas se comprazem em representar a si mesmos e seus egoísticos e insaciáveis apetites, desprezando o povo, por eles apenas visto e utilizado como dócil massa de manobra, cujos votos são cooptados e usados para eternizar seus mandatos e privilégios; na participação comprovada, pelas investigações em curso, do muito elevado número de congressistas e políticos em geral no saque aos recursos públicos...
Igualmente dolorosa e prejudicial ao ânimo da população tem sido a arrogância de alguns ministros do STF, que se julgam oráculos iluminados e predestinados mestres, acima de todos e de tudo, e livres para  fazer o que bem quiserem, inclusive trazer a servidão à luta político-ideológica e a relacionamentos e interesses pessoais para dentro da corte suprema, que se desejava e precisa sempre ser isenta. A tudo isso, soma-se a tradicional morosidade da justiça no julgamento dos feitos, a faculdade bem brasileira de os criminosos ricos poderem adiar indefinidamente o pagamento de suas contas com a Lei, através da ação postergatória de sucessivos recursos, apresentados por advogados espertos e muito bem remunerados, o que gera o sentimento generalizado de impunidade e desanima a população. Outras ações, do interesse direto dos cidadãos, como os casos envolvendo inventários e outros direitos de herança e sucessão, demoram tempo demasiado para a decisão, com prejuízos pessoais grandes e repercussões negativas na vida de cada um. Ocorrem, também, as remunerações muito acima do teto constitucional e extremamente além da realidade econômico-financeira nacional, que vêm sendo usufruídas por grande número de magistrados todas as instâncias, graças a interpretações corporativas feitas nos textos legais que regem a matéria.
Vivemos uma época de grande aflição, causada, principalmente, pela mazela dos prejuízos provocados pela cruel herança lulopetista e sua roubalheira desenfreada: a destruição da economia, do psicossocial e da capacidade de defesa, o assalto ao patrimônio do Estado, o desemprego, o desmantelamento dos sistemas de educação, saúde e saneamento e de segurança pública, a descrença nos políticos e nos partidos, a crescente miséria e marginalização sofrida por segmentos cada vez maiores do povo, a carga insuportável de impostos, taxas, contribuições de melhoria impostas à classe média, cada vez mais atingida, restrita e encolhida.
Diante de um tal quadro aterrador, todo ele consequência da criminosa e irresponsável atuação de homens e mulheres que não souberam ser dignos dos cargos e funções a eles confiados, resta-nos colocar os joelhos em terra, e pedir ao Senhor Deus que venha em socorro do Brasil. Que nos proteja e abençoe com o surgimento de novas lideranças, altruístas, patrióticas e comprometidas com a construção do Bem Comum, em todos os organismos do Estado, e capazes e dispostas a conduzir esta Grande Nação  de volta ao rumo do glorioso destino sonhado pelo Heróis, pelos bandeirantes e pioneiros, pelos desbravadores do território e legadores de suas colossais riquezas e potencialidades para fazer felizes, em paz, abundância, fraternidade e ambiente de direito e justiça, todos os filhos!
Aos maus, aos perversos e pervertidos, aos corruptos e corruptores, saqueadores da nação, e aos falsos profetas da religião sem Deus do tirânico extremismo vermelho, que não se quiserem converter aos caminhos do Bem, restarão o desprezo dos concidadãos e a condenação eterna por seus crimes de lesa-Pátria e lesa-humanidade! “De fato, de que vale ao homem ganhar o mundo inteiro, mas perder a sua alma?” (Mt 16, 26)
Parabéns, Brasil amado, pelo teu aniversário de Independência Política! Diante de ti e de tua Bandeira verde-amarela, invicta em todas as guerras, em continência, renovo meu mais solene juramento de fidelidade e de visceral cumprimento do Dever, arrostando quaisquer sacrifícios!
QUE DEUS TE CONCEDA SUA GRAÇA, TE GUARDE E TE GUIE, PARA QUE SEJAS, POR TODO O SEMPRE, O LIVRE SOLO DOS  LIVRES IRMÃOS, A BENDITA TERRA DE SANTA CRUZ!

O TERNUMA agradece sua visita.
Ir para o topo
Desenvolvimento, Hospedagem e Manutenção por IBS Web.'.